segunda-feira, 7 de abril de 2008

VERÔNICA DE VATE: ELIZEU MOREIRA PARANAGUÁ

ELIZEU MOREIRA PARANAGUÁ nasceu na cidade de Castro Alves, em 1963. Reside em Salvador desde 1981. Publicou os livros Poema Terra Castro Alves (1992), onde são cantados as ruas e becos de sua cidade, e O Fogo do Invisível (2006), trabalho que apresenta a profundidade da sua poética existencialista. Participou das antologias Sete Cantares de Amigos (2003) e Concerto Lírico a Quinze Vozes (2004). Editou, ao lado de José Inácio Vieira de Melo, a revista CEPA/Poesia, no biênio 1999/2000. Idealizou e coordenou os projetos Imagem do Verso (2000/2001) e Expressão da Poesia (2003/2006), em Salvador. Seus poemas têm sido publicados em importantes revistas literárias, como a Iararana, e suplementos culturais, como o A Tarde Cultural e o Panorama da Plavra. Ruy Espinheira Filho afirma em Poema Terra Castro Alves que "Lar é de onde se vem - diz o poeta T. S. Eliot. O que se vê, aqui, neste Poema Terra Castro Alves de Elizeu Moreira, é o canto do que partiu, do que se aportou do lar – e agora, através dos seus versos, realiza a viagem inversa, retornando ao mundo de onde veio. Elizeu Moreira Paranaguá canta a sua terra, mas canta sobretudo sua própria emoção ao evocar uma vida. " Sobre O Fogo do Invisível o crítico e poeta Antonio Carlos Secchin comentou: “Luz, fogo, brasa e outros signos ígneos pontuam a poesia de Elizeu Moreira Paranaguá, que, num mundo vazio de deuses, delega à fúria do verbo poético a missão de substituí-los.” Elizeu Moreira Paranaguá vais se apresentar no projeto Uma Prosa Sobre Versos, na próxima sexta-feira, dia 11 de abril de 2008, na cidade de Maracás, na Bahia. (Fotografia do poeta: Ricardo Prado).


O SOM E O SENTIDO


O som que se ouve
vem da lagoa
que abriga os seres.

O som que se espalha
invade a casa azul
cujo telhado é forrado
de estrelas e de palhas.

Ouço vozes que aprofundam
o sentido
entre os pássaros
e os grilos.

Ouço vozes que se harmonizam
entre o ruído
do Universo
e a Pedra Só.


ELIZEU MOREIRA PARANAGUÁ

2 comentários:

Grupo CONCRIZ disse...

Olá, JIVM.

Parabéns pelo blog!

Filósofo da poesia ou poeta da filosofia? É difícil definir Elizeu Moreira Paranaguá. O certo é que esse escritor da pedra está a buscar, com o chapéu estendido, a mais pura expressão da verdade nas estrelas. Em Maracás, há muita expectativa acerca da visita do poeta.

LITA PASSOS, Salvador, Bahia, Brasil disse...

Cavaleiro de Fogo!

Desejo muitas pedras estreladas em noites de prosas sobre versos.
Abraços ao poeta Elizeu
Lita Passos