sábado, 19 de julho de 2008

VERÔNICA DE VATE: IGOR FAGUNDES

IGOR FAGUNDES, carioca, 26 anos, é poeta, jornalista, ator, ensaísta, Mestre em Poética pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professor de Teoria Literária na mesma universidade. Autor dos livros de poemas por uma gênese do horizonte (2006, vencedor IV Prêmio Literário Livraria Asabeça), Sete mil tijolos e uma parede inacabada (2004) e Transversais (2000, 1º lugar no I Concurso Literário Estudantes do Brasil), bem como do livro de ensaios (no prelo) Os poetas estão vivos - pensamento poético e poesia brasileira no século XXI (Prêmio Literário Cidade de Manaus 2007). É co-autor da coletânea de artigos Quem conta um conto: estudos sobre escritoras contistas estreantes nas décadas de 90 e 2000 e integra a coleção Roteiro da Poesia Brasileira - Poetas da década de 2000. Atualmente, é colaborador do Jornal Literário Rascunho e nas publicações da Academia Brasileira de Letras (ABL).


chamado


como se já te conhecesse, espero-te:
mãos abertas, juntas, a equilibrar
o mar outrora preso na linha da vida
e que agora sobre as palmas se apóia.

como se não te conhecesse, aviso-te:
nele singra este homem com olhos de céu
refletido no corpo-água que a ti oferta
o sal da pele antes muralha.

como se te escrevesse, enfim, em versos
navego-te no ardor de uma palavra
em mar que ontem pensei ser meu apenas
e hoje te inunda para ser a nossa lavra.


Igor Fagundes

3 comentários:

Laís Naufel disse...

Quem o vê falando um monte de besteiras, todo despreocupado quanto a isso, supertranqüilo, dizendo que é cantor e depois dizendo que não, tentando colocar, da forma mais divertida, um pouco de Heidegger em nossas cabeças secundaristas nem imagina que ele possa falar sério alguma vez. Mas ele fala, aliás, escreve. poesia.

Anônimo disse...

Igor realmente merece ter seu valor reconhecido.
Imagino ainda quantas homenagens virão pelos trabalhos ainda não conhecidos mas que merecem/precisam ser publicados.

"Ergue, mover, repor muralhas, na procura
de ver aquela ainda não vista, e que alimenta
a luta, a sede por razões, pela verdade
a ser quitada como chave para a paz."
quinta parede - Igor Fagundes

Sucesso, sempre!

André disse...

Igor, não sou poeta, escritor, jornalista,nem tantos outros do fantastico que vc vive. Me considero um pensador um ensaista de vida (caso minha curteza permita).

Ser vivo que reage com amor e a certeza, como qdo vc diz que tudo o que se insinua aparentemente banal é na verdade extraordinario.

Obrigado por sua obra, por suas palavras, por tudo. É um alento pra mim e tantos outros.

Saudações cordiais,

AndreB