domingo, 15 de junho de 2008

JIVM - DILÚVIO


D I L Ú V I O


O olho daquele pingo de chuva que vem caindo
revela a minha convicção: acredito no dilúvio.

Não tem mais jeito, para toda árvore que olho
só vejo tábuas para construir a arca da salvação.

Sei que todos riem de mim, fazem galhofa
e acham mesmo que estou com um chocalho no juízo.

Mas é que tive um sonho: um ser vestido de água
inundava o meu dia a minha noite a minha vida.


JOSÉ INÁCIO VIEIRA DE MELO

2 comentários:

Glauce disse...

Fé, este seu poema me fez lembrar dela.
A fé nos fortalece e move nossas vidas não é?

Glauce disse...

Fé, este seu poema me fez lembrar dela.
A fé move nossas vidas.