segunda-feira, 19 de julho de 2010

TRÊS POEMAS DE DANIEL FARIAS
















durma de janela aberta


um dia desses
opte pelo caminho
mais bonito

seja turista
em sua própria casa
e fotografe
ainda que na retina
a cor e a inclinação
do sol visto
daquela esquina

se apaixone de novo
pelo mesmo sorriso
não há de ser sem motivo

lembre-se daquela praia
ou daquele café
e vá

ainda que chova
ou que seja terça
sem pressa

se parar nas luzes vermelhas
ouça das músicas as letras
baixe o volume para escutar
sua cabeça mas aumente se ela quiser
gritar

sorria
seja gentil
olhe olho
abraçe com braço

um dia desses
e são tantos



da gravidade do acaso


se isso que eu sou
de fato te importasse
decerto que abria essa porta
e se impunha

me arrebatava na hora
e me transportava agora
pra fora da força da sorte

pra perto
pro aperto
pra dentro



ressonância


cada eco
tem o tamanho
exato
de seu abismo

com calma
o tempo
te transforma
em silêncio

6 comentários:

Vitor Nascimento Sá disse...

Bom ritmo, boas imagens.
Em alguns momentos, ele consegue ser surpreendente. O que é muito para um poeta jovem.
Fico feliz com mais essa sua descoberta, JIVM.
Parabéns pela sua poesia, Daniel Farias.

Daniel Farias disse...

obrigado Vitor.
muito obrigado JIVM!d

Pablo Sá disse...

Uma atmosfera incrível, aplicação perfeita. Parabéns Sangue Novo, belos poemas.
abraços

Jacyan disse...

boa pegada

Eliana Mara de Freitas disse...

Daniel, e os poemas são daqueles
Que meu coração adota prontamente
poesia leve, beleza que chega
rápida
e permanece!

Priscila de Freitas disse...

Daniel, parabéns! Gostei da entrevista, e sua poesia tem uma fluência quase musical. Um abraço