sábado, 25 de julho de 2009

JIVM - RASTROS


RASTROS

O poeta traz os segredos da poeira.
Em sua mão pulsa o nó do espanto:
um sorriso bêbado de eternidade:
um poema.

JOSÉ INÁCIO VIEIRA DE MELO

Hoje, 25 de julho, é o dia nacional do escritor. Apesar de não termos muito o que comemorar, fica aqui este poema que diz da minha compreensão do ato de escrever, sobretudo, poesia.

9 comentários:

Georgio Rios disse...

É uma pena que realmente não se tenha muito o que comemorar, mais vale o belo poema!!!

Anônimo disse...

Realmente, o poema é um sorriso bêbado de eternidade. E vc, Zé Inácio, traz esse eterno sorriso inebriado bem dentro do seu ser e ainda passa para a gente. Parabéns pelo seu dia, poeta.


Zeka Valadares

Mazé disse...

José Inácio vc é um poeta que diz as coisas com uma força e com um encantamento que tocam muito profundamente em mim. Grato por sua arte. E parabéns pelo dia do escritor. Beijos.
MAZÉ

bilis disse...

Bonito e controvertidamente épico.

Além de bastante real.

Grande Abraço.

Maurício disse...

Um poema filosófico. No aspecto formal, contempla a síntese. Um poema que, com poucas palavras, diz mais que a maioria da versalhada dos poetastros da nossa desfigurada e triste Bahia.

ediney disse...

"um sorriso bêbado de eternidade"
não mais que isso me importa

Caio Rudá disse...

De fato a vida do escritor é assim mesmo, sem muitas glórias senão o reconhecimento do seu trabalho. Por isso mesmo fiquei realmente lisonjeado pelo comentário em meu blogue. Primeiro porque toda e qualquer crítica é bem-vinda, segundo pelo inesperado que foi, e por fim, e principalmente, pela leitura ter sido feita por alguém com tanta experiência a oferecer.

Francisco Munduruca disse...

Meu caro JIVM, seus versos são a consagração dos nossos rastros. Penso que é por isso que tantas pessoas se identificam com seus escritos. Você é um poeta que vei para marcar esse nosso tempo. Parabéns sempre!!!

Priscila de Freitas disse...

belissimo!!!