domingo, 15 de agosto de 2010

JIVM - FUNERAL


Foto: Ricardo Prado


FUNERAL


Assustadoramente toca o sino.
A morte, com seus ternos e tapetes
sensacionais, conduz, em caracóis,
dolentes multidões tão carregadas

de vozes que deságuam cemitérios.
Exposta a dor dos que ficam suspensos,
começam a florescer outros símbolos:
rosas brancas ressurgem nas lembranças.

Os pássaros da noite estão no vento,
vozes que vibram dentro do silêncio,
tumulto na frieza de uma lápide.

Na agonia de viver tudo morre.
E o mistério da vida desenvolve,
na morte, novas vidas em instantes.


JOSÉ INÁCIO VIEIRA DE MELO

30 comentários:

Calaça disse...

um bom domingo Poeta!
parabéns pelo poema.
abração

Brih... disse...

Inácio..muito bom te ler!!! beijos e um excelente domingo pra vc....

Contos Ferrettianos disse...

Super legal. Amei de verdade as suas poesias. Que Deus ilumine os seus caminhos por toda a eternidade para que continues nos proporcionando esses manjares literários, que só você possui a receita para prepará-los, por todo o sempre. Aguardo você em um dos nossos Saraus. (Ivan Ferretti Machado - Coordenador da Sociedade dos Poetas de Vila Prudente e Cata-Verso da Moóca.

Claudio Sesín disse...

Estimado Poeta: Como siempre es un placer leer poesías suyas, y también por supuesto entrar en su blog, que es excelente. Me gustaría pedirle para el blog de los Navegantes de la Cruz del Sur, si fuese posible, algunos poemas en portugués y traducidos al castellano. Su poesía es muy buena, ya subimos al blog una vez unos poemas y nos gustaría poner más de usted.
Agradeciéndole su atención, le envío un gran abrazo y espero su respuesta.
Claudio.

Salusa Ribeiro disse...

Como é perfeito o seu pensamento, modo de ver e sentir a vida. Parabéns, parabéns, poeta talentoso.
Amei a surpresa, ter você aqui.

Cecilia Fidelli disse...

NA AGONIA DE VIVER TUDO MORRE.
E O MISTÉRIO DA VIDA DESENVOLVE,
NA MORTE, NOVAS VIDAS EM INSTANTES.

JOSÉ INÁCIO, FICO, OU FIQUEI COM ESSE FRAGMENTO NA MENTE. UM REFLEXO TÃO LÚCIDO DO SEU PENSAMENTO SOBRE A MORTE... GOSTEI MUITO DESSES INSTANTES DA LEITURA.SOU DEVOTA DE POETA QUE PADECE COM CONSCIÊNCIA. BEIJO, CI.

Daniel Farias disse...

excelente.
meu verso preferido: "vozes que vibram dentro do silêncio". é isso. é exatamente isso. adoro quanto um poeta consegue traduzir tão bem essas sensações que não conseguimos definir.

Jaquelyne Costa disse...

Que forte: "na agonia de viver tudo morre."

Abraços poéticos da sua amiga petrolinense

Jaquelyne Costa.

Newton Vieira disse...

Como sempre, magnífico, José Inácio. Parabéns pelo estro! E obrigado por este inesquecível momento de autêntica poesia! Newton

Janete disse...

Seus poemas são um eterno sacolejar; um mar revolto e por vezes uma doce calmaria... sustação!

janda lanca disse...

Belo tema poeta,dos mais fascinantes,você explorou muito bem,quase se penetra no clima,quase se morre também.BRILHANTE.

Gil Santos disse...

Funeral é outro belo poema Inácio, parabéns.
Estou ansioso para ler Roseiral. Abraços.

Prissila Miudinha (Míria) disse...

Adorei seu soneto... morte é tema de mil possibilidades... depende só do ponto de vista...

Xêrooooooooooo

Rômulo Ferreira disse...

Inácio, lindo seu blog, esteticamente e em contédo. adorei muito ter este prazer neste fim de domingo
quando der de uma olhada no meu tbm
abraços!!

Rômulo Ferreira disse...

muito lindo o seu blog amigo Inácio...
parabens peo conteudo e pela linda poesia apresentada!!
quando der visite o meu e de sua palavra!
abraços
Rômulo Ferreira

Helena disse...

Foi bom ler esse poema. Imagens se formam em minha mente e falam a voz do autor. Onde posso adquirir esse livro? Responda por favor

Lupeu Lacerda disse...

sempre forte
lúdico
e belo:
zé inácio, vaqueiro poeta,
sempre aboiando, tangendo pra perto de nós
as vacas palavras.
um grande abraço meu irmão.

Silas Talmom disse...

José Inácio...
Sempre com versos espetaculares .
Sucesso !

Abraço

Lídia Maria Nazaré Alves disse...

Lindo texto. Um Surrealismo que dá para entender. Um abraço.
Professora Dr. Lídia Maria Nazaré Alves.

estefane cortes disse...

Muito lindo!

parabéns pela sua arte!

Georgio Rios disse...

cada verso entranha.Gruda e segue fazendo ecos dentro da cabeça.
Muito, mais muito bom mesmo!

Maria Odete Olsen disse...

Apesar de conceitualmente a morte significar o fim, ela também representa o recomeço o renascimento, mesmo quando antes disso tenhamos que sentir muita dor...belo poema Zé. Bjo

Leonora Alves Cunha disse...

Zé, (se me permite, é Zé)
Achei o poema lindo, uma mensagem fantástica da vida. Sei que a morte é parte da vida.
"é morrendo que se vive"
Assustei com o título. é impactante.
Parabéns!
Leonora - Goiânia-Goiás

Pedro Rivas Franco Lima Gomes disse...

Bonito poema, cheio de imagens fanstáticas, alquímicas...

A morte faz parte da vida, e a vida faz parte da morte... Rock ´n Roll

Abraço

Pedro

|||Ésio||| |||Macedo||| |||Ribeiro||| disse...

Poeta, José Inácio,
seus poemas são belos
e vêm falar
para nós, tão sem abrigo,
das coisas da vida e da morte.

O poeta sempre vem e nos salva
com sua poesia, alimento
que faz falta
à vida que anda em baixa,
à morte de todo dia.

Poeta, José Inácio,
muito me comove
o seu abraço, amigo!
Traz-me sempre
e, ainda que com febre,
suas palavras de vidente!

Osmar Machado Jr. disse...

Bonito soneto...

Abraço.

Pablo Sá disse...

Mais um dos tantos belos poemas que estão no livro Roseiral,parabéns caro amigo.

Rubens Jardim disse...

José Inácio
"A morte com seus ternos e tapetes e as vozes que deságuam nos cemitérios",
fizeram-me adentrar, passo a passo, no grande mistério que envolve a vida e a palavra do poeta.
Parabéns por esta façanha !
Abração fraterno
Rubens jardim

Ricardo Thadeu disse...

versos que ficam ecoando na cabeça como o sino que anuncia a passagem

muy bueno, Inácio
grande abraço

José Nêumanne Pinto disse...

Belo poema!