terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

GOULART GOMES - QUIRÃO



Q U I R Ã O
Para José Inácio Vieira de Melo


esse magarefe das letras
em si, homem e alazão
ordenha poemas nas tetas
nos ubres da inspiração

os cascos fendem o chão
sendo o solo seu papiro
sua pata é a sua mão
pedregulhos, os escritos

esse vaqueiro-poeta
traçando riscos no céu
pai do pequeno profeta
e do arcanjo novel

faz da pena um cinzel
das ideias, um martelo
esculpindo no papel
o seu canto mais belo

herdeiro das velhas tribos
de adoradores do fogo
sua arte não tem estribos
sua via não tem retorno

seu mote, o próprio povo
dos gerais e do sertão
seu verso, o eterno novo
poeta sábio, és Quirão!


GOULART GOMES
Ouro Preto, MG, 9/2/10

6 comentários:

Mazé Anunciação disse...

Parabéns, Goulart Gomes, pelo belo poema. O José Inácio bem que merece uma homenagem desse nível. Seu poema diz muito do universo do Cavaleiro de Fogo, do Centauro Escarlate. Beijos para ambos.

MAZÉ

Francisco disse...

O José Inácio, Centauro de Fogo, é um poeta que tem uma cintilação fora do comum. Goulart, você usou os matizes certos e acertou na mão.

Chico Munduruka

Priscila de Freitas disse...

Versos exatos e tocantes para quem conhece e admira JIVM. Se pudesse, assinava em baixo das palavras de Goulart. Parabéns!

Caio Rudá de Oliveira disse...

Poema maravilhoso. Leve como poucos, feito o cavalgar em câmera lenta do Cavaleiro de Fogo.

Jeovah disse...

Boas quadras, Goulart. O JIVM é merecedor desse reconhecimento. Parabéns!

Jeovah Ananias

Goulart Gomes disse...

Fique feliz que minha singela homenagem ao meu irmão Zezinho tenha agradado. Abraço a todos!