terça-feira, 1 de dezembro de 2009

TRÊS POEMAS DE LIDIANE NUNES















CASAMENTO


Queria escrever algo
sobre mim
e sobre o outro.

Mas um outro
já escreveu tanto
sobre mim,

que só me resta
dizer sim.



(IN)DECISÃO


Como um peregrino,
eu sigo.

No meio do caminho:
duas rotas

e meu olhar vago,
perdido.



DEUS
Para Mayrant Gallo


A única crença
que me resta.

5 comentários:

Georgio Rios disse...

Poética livre, com asas de pássaro.Lidi, você vai longe!!!!

Mônica Menezes disse...

Amei "Casamento", que não conhecia ainda.

aeronauta disse...

Poemas lindos e maduros. "Casamento" é antológico!

Sou cérebro disse...

Nasceu poeta, a poesia livre tem algo de magico. parabéns!!

Anônimo disse...

Tardiamente comento, tardiamente celebro. Aquele abraço.