sábado, 21 de janeiro de 2012

TRÊS POEMAS INÉDITOS DE ROBERVAL PEREYR


O poeta Roberval Pereyr com os jovens integrantes do Grupo Concriz,
após recital de sua poesia, na cidade de Maracás, no projeto Uma Prosa Sobre Versos


LÍRICO


Na selva de meus dilemas
tratei com feras: palavras.

São belas, são éguas bravas
na alma, que é mãe de éguas.

E perscrutei sob trevas
a nova era e seus mapas:

abri veredas e rotas
às feras que eu libertava.

Ó selvas de meus dilemas
ó éguas da alma, bravas.



RELATÓRIO


Fiz diligências no Ego:
voltei doente; além disso
fui ameaçado de morte.

E a viagem de volta
foi um grande suplício:
entregue à própria sorte

como cego entre lobos
(ou bobo entre espertos)
contornei precipícios

fiz carícias nos vícios,
abracei os perversos.
Foi minha prova de fogo:

foi, na verdade, o jogo
mais difícil e incerto.
Pois se mato ou morro

grande risco corro
de engordar o Ego
– este rei do engodo.



UMA POÉTICA


Verdade e mentira: esculpo-as
no movediço da língua.

Com impreciso cinzel
entalho sombras, seduzo
as faces dúbias da vida.

Mas logo as sombras se esvaem.
E cravo farpas na língua.


Poemas do livro inédito Mirante, vencedor do prêmio da ACADEMIA DE LETRAS DA BAHIA de 2011. ROBERVAL PEREYR natural de Antônio Cardoso-Bahia (1953), em 1964, radicou-se em Feira de Santana. Doutor em Letras (Unicamp), é poeta, ensaísta e professor da Universidade Estadual de Feira de Santana e um dos fundadores da revista de poesia Hera (Feira de Santana, 1973). Fundou também, ao lado do poeta Pablo Simpson, a revista de poesia Duas Águas. Vencedor de vários concursos literários. Entre os livros publicados, encontram-se As roupas do nu(1981); Ocidentais (1987); O súbito cenário (1996); Concerto de ilhas (1998); Saguão de mitos (1998) e Amálgama – Nas praias do avesso e poesia anterior (2004). Participou em várias antologias, entre as quais A poesia baiana no século XX, organizada por Assis Brasil, e Roteiro da Poesia Brasileira – Anos 80, organizada por Ricardo Vieira Lima. Tem inéditos em romance e novela. Pereyr atua também como compositor e arranjador musical. Possui vários poemas musicados pelo cantor Márcio Pazin, como “Galope”, que conta com bela interpretação da dupla Márcio Pazin e Carol Pereyr, cantora e filha do poeta.

10 comentários:

Salgado Maranhão disse...

Ótima notícia, Zé Inácio, Pereyr é um excelente poeta e uma pessoa adorável, quando os bons são premiados, eu também me sinto vitorioso. Abração, Salgado Maranhão.

Cyro de Mattos disse...

Que bom o prêmio ser de um baiano talentoso como o Roberval Pereyr. Beleza!

Grande abraço


Cyro

Moacir Eduão disse...

Parabéns a Roberval, meu mestre...

Lidi disse...

Parabéns ao Roberval, grande professor, grande amigo, grande poeta. O prêmio foi mais que merecido. Abraço, Zé Inácio.

Unknown disse...

Zé Inácio, estou encantada com a poesia de Roberval Pereyr.Poesia forte e sensível.
Abraços.

Neuzza Pinhero disse...

gostei muito desse poeta, o Roberval Pereyr, que vai colocando beleza no mundo.
um abraço!

Jerusa Pires Ferreira disse...

Caro José Inácio

Todos os parabéns a Roberval Pereyr, grande figura humana e poeta.

Merece o nosso respeito e admiraçäo.

Um abraço.

Jerusa

gláucia lemos disse...

Que bom q o prêmio ficou com mais um poeta dos nossos. Pereyr é um poeta vigoroso, merece a repercussão que o prêmio lhe dará e merece muito mais que certamente conquistará com seu verso indomado, pessoal e forte. Grande abraço.

Dias disse...

Parabéns pelo prêmio, querido amigo! Nada como começar o ano com uma alegria dessas, não é? Abços. Dias Campos

Astrid Cabral disse...

Meu caro Zé Inácio,
abrace o Pereyr por mim. É um merecido reconhecimento.
Um feliz 2012 para você Linda e os filhotes.
Astrid