quarta-feira, 12 de maio de 2010

JIVM - A ROSA VIVA


Ilustração: Daniel Biléu

A ROSA VIVA


Estas rosas que vês em mim são brasas.
Por isso, muito cuidado ao tocar
em suas pedras – pétalas sagradas.

Minhas palavras ardem a forjar
estas flores que canto por prazer
e que dão febre e fazem delirar.

Meu coração é mesmo a rosa viva.
Por isso, muito carinho ao pegar
suas pétalas – pedras tão aflitas.


JOSÉ INÁCIO VIEIRA DE MELO

19 comentários:

Genny Xavier disse...

Os versos do poema "A Rosa Viva" são fortes, sensíveis e belos, me transmitem a sensação de que a beleza, áspera ou que incendeia, nos leva ao sentido do ser e a profundidade da alma.
Parabéns.

Genny Xavier

Astrid Cabral disse...

É um prazer reler o poema e rever a ilustração do Biléu. Encontro de 2 senhores artistas!

Beijabraço. Astrid

Maria Muadiê disse...

lindo!

lidia maria nazaré alves disse...

Este poema é maravilhoso, vivo e latejante como a sangria que escorre gritante do meu coração desesperado. Parabéns, José Inácio. Parabéns, amigo poeta. Um abraço em tom rubro-sangue. Professora Lídia.

João Marley disse...

poxa vida, vc é o cara mesmo, em companhero?
gosteii desse poema
grande abraço

A. F. disse...

Belo poema, José Inácio! A imagem também ficou ótima!

Bom dia!

Saudações poéticas!

Juracy Ribeiro disse...

Bom-dia, meu grande poeta.

Quando li o poema A Rosa Viva, nesta manhã um pouco fria,
cachorros pondo patas geladas em mim [ai ai ai], gritei até
pro Sol que está chegando ouvir, e de braços abertos lá fora:

OBRIGADO, MEU DEUS, POR ESSE POEMA MARAVILHOSO.
OBRIGADA, SENHOR, PELO JOSÉ INÁCIO VIEIRA DE MELO.

Esse poema pra mim é razão pra existir.
E acabo, aqui, chorando, desfolhada.
Beijos beijos beijos,
Jura.

karen lima disse...

que lindo! parabéns!

Rita Moutinho disse...

Querido José Inácio,

Que poema contundente e belo! Estou com seu livro do meu lado aqui na ABL e espero lê-lo na próxima semana.

Um beijo,

Rita Moutinho

ALESSANDRA disse...

lindo demais.

Thiago de Mello disse...

Poeta José Inácio,
gostei das rosas de brasas. Li o poema em voz alta, gostei da música, mas senti a quebra da cadência do decassílabo nos versos finais da primeira e terceira estrofe. Muito boa a recomendação inicial do Antonio Nahud. Onde encontro livros teus?
Me diz do teu parentesco com o Vieira de Melo antropólogo, a quem ouvi na Feira do Livro de Fortaleza deste ano.
Te abraço.

Thiago de Mello

Cairo Trindade disse...

gostei do "rosa viva".
curto rimas toantes!

Pablo Sá disse...

Um dos mais belos poemas que já tive o prazer de recitar e de ouvir, perfeito.
abraços amigo

Gal disse...

Inácio,
Sou seguidora do seu blog viu?
Bela poesia!
Passa no meu blog http://variaspartesdemim.blogspot.com/
Tenho alguns poemas comente-os!

Antonio Carlos Secchin disse...

Bela rosa de poema, José Inácio!

Ranúsia Borges Gabe disse...

A vida é um grande enigma...

Todo poeta é aflito.

Todo homem tem suas aflições...feliz é aquele que consegue traduzi-las em palavras...

Zé, suas aflições são pétalas douradas escritas em seus livros...

Beijos, Ranúsia.

Lita Passos disse...

Poeta do Fogo!
Relendo Roseiral, vi que o poema Rosa Viva poderia ter sido escrito por mim. É lindo demaissssssssssssss
Bjs
Lita



LITA PASSOS

Sandrio cândido. disse...

tua poesia encanta e emociona...ainda bem que recebi a chance de encontra-lo nos blogs.

Marcelo Moraes Caetano disse...

Ai, que maravilha! Graças aos Deuses Gregos, Nórdicos, Egípcios, Romanos, Hebreu e Muçulmano, há poetas que lembram que poesia e lirismo são a junção mais perfeita que existe, e não se "constrangem" em rasgar o peito e mostrar a ferida aberta que Nietzsche sempre reconheceu c omo o apanágio único dos VERDADEIROS artistas. Hoje se tem escrito tanta bobagem artificiosa, que eu andava desgostoso com a poesia. Mas há quem a dignifique, como você. Há quem dê à regionalidade do tom a universalidade do timbre.