domingo, 21 de dezembro de 2008

FRANCISCO CARVALHO - MITO DE SÍSIFO



MITO DE SÍSIFO


Não me queixo de Deus.
Sou o que fiz de mim.
As nuvens são negras ou azuis
porque minha ilusão as quis assim.

Não me queixo de Deus.
Seco-me aos ventos do desamparo.
Semeei caminhos e encruzilhadas.
O futuro é uma senda do homem.

Sísifo conduz uma pedra pelos declives do abismo
sem que o céu se importe com isso.
Também nós carregamos uma pedra,
acorrentados à liberdade.


FRANCISCO CARVALHO

Um comentário:

Lílian Almeida disse...

Muito bonito o poema de Francisco Carvalho, Inácio. Sísifo somos todos nós a empurrar a pedra-vida de nossas existências.